Thursday, November 20, 2008

Alguém viu a Luna?

A minha cadela Luna foi roubada ontem em Grândola.. É uma Boxer camurça de focinho preto com 8 meses. Se alguém se cruzar com este post e tiver alguma informação, não deixe de me contactar, por favor.
A minha mãe e eu estamos devastadas com o seu desaparecimento :-( e oferecemos uma recompensa a quem souber dela.
Fica aqui uma foto recente da minha Luna linda..
Muito obrigada

Wednesday, October 22, 2008

Para ouvir de olhos fechados...

Monday, September 29, 2008

"Tropa da Elite", "Rap das Armas" e a cidade de Deus...


"Morro do Dende é ruim de invadir
Nós com os alemão vamos se divertir
Por que no Dende eu vou dizer como é que é
Aqui não tem mole nem pra DRE
Pra subir aqui no morro até a BOPE treme
Não tem mole pro Exército, Civil nem pra PM
Eu dou o maior conceito para os amigos meus
Mas morro do Dende, também é Terra de Deus"

Estas são as primeiras linhas do "Rap das Armas" do duo de funk brasileiro Cidinho e Doca, que anda de boca em boca (sobretudo dos mais novos). Gostaria de acreditar que quando os meus alunos trauteiam o famoso Parapapapapapapa não fazem a mínima ideia do conceito por detrás deste aparentemente inofensivo hit funk.
É também esta a banda sonora que surge no início de um grande filme: "Tropa de Elite", um retrato cru da realidade nas centenas de favelas do Rio de Janeiro e do papel da Polícia Militar (PM) e do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) nesse cenário.
Todos os dias o Rio de Janeiro é uma cidade em guerra, uma guerra sangrenta e estúpida como todas as guerras, com milhares de vítimas (umas inocentes, outras nem por isso). E é fundamentalmente nas favelas, onde a pobreza extrema convive lado a lado com o tráfico de droga, que os grandes criminosos e "barões" armados até aos dentes se abrigam à sombra da corrupção da Polícia e se transformam em "donos" da cidade.
Mais do que a Polícia Militar, totalmente minada pela corrupção, que muitas vezes cede a subornos e "arregos" de vária ordem, o BOPE procura inverter esse cenário diariamente e embrenha-se numa luta muitas vezes inglória, pelos becos dos mais violentos morros da cidade.
"Tropa de Elite" narra a história do Capitão Nascimento, representado pelo talentoso Wagner Moura, um homem dividido entre a obrigação profissional na equipa do BOPE que lidera e a família. O facto de ser uma peça chave no tabuleiro da "guerra" entre o BOPE e os traficantes de droga, leva-o a uma espiral descendente agravada por remorsos e medo de perder a vida. Por ter um filho recém-nascido, a sua profissão, a responsabilidade e pressão nela envolvidas, começam a ser um fardo demasiado pesado.
Temos então a oportunidade de acompanhar o processo de selecção dos elementos do BOPE e as características do seu curso de treino, um dos mais duros e rigorosos do mundo.
Não vou alongar-me em descrições sobre o que acontece no filme, até porque toda a gente o devia ver, nem que fosse para perceber que o Rio de Janeiro está muito longe de ser a cidade maravilhosa que aparece nas telenovelas da Globo. Os laivos de criminalidade retratados por vezes, são pequeníssimas amostras do que é a realidade. A realidade são centenas de vítimas de balas perdidas, são corpos carbonizados encarcerados em pilhas de pneus, são meninos de 13 ou 14 anos de AK47 na mão responsáveis por "bocas de fumo", pequenos pontos de tráfico nas bases das favelas, de onde a droga é distribuida, são cadáveres semeados pelo chão sem ninguém que lhes dê um enterro digno...
É uma realidade que nos entra pelos olhos e pela alma que nos fere e nos deixa um sabor amargo na boca. Indagamos: "Porque será que ninguém faz nada? Se toda a gente sabe que existe este cancro no coração do Rio, porque ninguém toma uma atitude?" O BOPE toma, mas é uma gota no mar... Os homens da farda preta, invadem o morro e atiram a matar, não são como a Polícia portuguesa que tem que dar tiros de aviso. Não matam aleatoriamente, fazem-no cirurgicamente em incursões de "toca e foge" e não hesitam em usar meios de tortura para obter o paradeiro dos seus alvos. É uma guerra de guerrilha a que se trava no Rio de Janeiro e morrem inocentes para alimentar sobretudo o vício de milhares de "maconheiros" (consumidores de haxixe).
Admiro a coragem de quem denuncia, de quem tem a coragem de escancarar assim os podres de uma cidade tão cheia de brilho e vida turística. Admiro o realizador José Padilha pelo filme "Tropa de Elite", e pelo documentário "Ônibus 174" (transmitido há pouco tempo pela SIC), que retrata o sequestro de um autocarro com reféns e a realidade dos meninos de rua. E relembro o magnífico filme de Fernando Meirelles, "Cidade de Deus"... E penso: se Deus existisse, permitiria que existisse uma cidade com o Seu nome escrito a sangue?

Thursday, August 14, 2008

Reinauguração, 'O Sexo e a Cidade' e o rosto de Charlotte...

Após alguns meses de ausência, resolvi fazer a reinauguração deste pequeno espaço 'bloguístico'. As circunstâncias da vida fizeram com que a falta de tempo, de paciência e de inspiração me afastassem daqui mas hoje acenderam-se algumas luzinhas de esperança de mudança para breve (de mudança para melhor, espero eu).
Tive nestes meses alguns motivos para lançar uns 'posts', mas confesso que a inércia me tolheu o pensamento e o movimento. Queria ter falado do fabuloso concerto de Queensrÿche no passado dia 1 de Junho, do Alliance Fest (em Carcavelos) na semana passada onde pude ver pela primeira vez uma das minhas bandas preferidas: Exodus, e conhecer os bastidores de um evento daquele calibre (com uma preciosa acreditação de imprensa que me valeu quatro beijinhos 'moonspelianos' lol), o casamento da minha amiga Paula (um dia memorável com muita nostalgia), o nascimento dos filhos das minhas duas grandes amigas Fokinha e Patita (já tenho dois sobrinhos emprestados: Eduardo e Alexandra) e a entrada na minha vida de uma pessoa especial e para isso não há palavras que cheguem (no words, just love...)
E por falar em amor, e porque uma reinauguração merece um tema 'pink' (piu piu pombinhos ), queria dedicar algumas palavras ao filme "Sex And The City" em exibição nos cinemas.
Não vou demorar-me em críticas 'intelectualóides' sobre o filme. Digo apenas que gostei. E gostei, porque apesar de não acrescentar grande coisa a um bom episódio da famosa série da HBO, esta longa-metragem funciona como um atar de pontas soltas, uma sucessão de pontos finais e 'happy endings' como convém e agrada à mais comum das românticas incorrigíveis.
Todavia, se nos abstrairmos de comparações e das opiniões pedantes dos 'senhores críticos' que enxovalharam o filme ao máximo, conseguimos descobrir detalhes absolutamente deliciosos. E é isso mesmo que me fascina num qualquer filme, os pequenos nadas que fazer rir ou chorar de cena para cena. Aconteceu-me em filmes tão aparentemente banais como "13 Going on 30" com a brilhante Jennifer Garner, "Thelma & Louise" com Geena Davis e Susan Sarandon (um dos filmes da minha vida), ou "Love Actually", uma doce comédia natalícia. E também com "Sex And The City".
É excusado relatar aqui todos esses momentos que prendem, emocionam ou fazem soltar uma gargalhada, mas houve um em particular que me ficou gravado na memória. Pesquisei exaustivamente por uma 'still' do filme que mostrasse mais ou menos esse momento e o melhor que encontrei está aqui ao lado.
Sem querer fazer o papel de 'spoiler', esta cena acontece após o casamento frustrado entre o famoso Mr. Big e a protagonista da série, Carrie Bradshaw. Após partir em pedaços o bouquet na cabeça do ex futuro noivo, Carrie lança-se em desespero nos braços da sua amiga Charlotte (coisa normal de se fazer). Mr. Big, arrependido da sua fraqueza, tenta em vão pedir desculpa mas ao aproximar-se, Charlotte grita-lhe "No!" e afasta-se levando a amiga. Acreditem, pode não parecer nada mas a expressão no rosto dela é tão forte que só de a recordar fiquei toda arrepiada. É a expressão da amizade, pura e simples (embora seja performance de actriz). Nem era necessário o "No!" para significar um muito assertivo "aproximas-te dela e levas um murro que te saltam metade dos dentes" (lol). E isto tocou-me aqui dentro. Pensei nas pessoas que amo e que seria capaz de defender numa qualquer circunstância difícil. Pensei nos meus amigos, que estão neste momento longe de mim (quase todos), mas que nunca esqueço. Pensei nas minhas queridas Fokinha e Patita que como a Miranda e a Charlotte, também são mamãs de primeira viagem... E ao caminhar para a saída da sala de cinema, pensei que, apesar de todo o mal que possa acontecer na vida, há sempre motivos para sorrir, para acreditar nas coisas boas, nas pessoas que surgem ao longo do nosso caminho e que nos ajudam a torná-lo mais suportável... Pensei no amor e no quanto ele é fundamental e infinitamente mágico... E ele ali estava, sentado ao meu lado :-)

Tuesday, February 12, 2008

Sem título # 2


Se eu soubesse escrever-te assim de leve
Por entre os pensamentos que me tolhem os sentidos
traduzir em palavras toscas, rudes e cinzentas
os sentimentos que se assomam à lembrança
gritantes de cores mil, esculpidos com a arte imperfeita de quem ama...
Tudo parecia perfeito na inconsciência tola do sentir,
tudo me consumia a alma na incansável voracidade de viver
e enfim tudo pereceu quando, docemente adormecida em ti,
a tua realidade me acordou...
Imagem: Sacrifice be TheTragicTruthOfMe in deviantART

Wednesday, February 06, 2008

Wacken Open Air 2008

É quase oficial! Este ano o cartaz do mega festival de metal por terras germânicas bate todos os recordes, e eu, não poderia deixar escapar a oportunidade de ver ao vivo Iron Maiden, Exodus, Soilwork.. e os meus Opeth :-)!
E além destes nomes sonantes, podem ver aqui http://www.wacken.com/en/woa2008/main-bands/billing-2008/ as bandas confirmadas para a edição deste ano! (bora lá! WACKENNNNNNNNNNNNNN!) \m/

Friday, December 28, 2007

Sem título


Vou cuspindo esta imbecilidade de te gostar assim, tanto
Entopes-me as entranhas, dóis-me
Decido finalmente
Vou deixar de te imaginar... vou antes colar-te aos meus sentidos
E quando a luz se acender e te mostrar, feio, disforme...
moldado aos meus olhos,
entranhado nas minhas narinas,
humedecido no meu beijo...
gritando nos meus silêncios...
ardendo-me na pele...
desperto, lúcida... e tu, belo e perfeito... não estarás lá!

Saturday, November 24, 2007

Riverside com Carlos Paião (lol), muita voz mas pouco sal e um enorme concerto de verdadeiro prog metal!

Podem achar estranho o título desde post mas ele engloba um pouco dos três concertos do Festival ProgZone em Torres Novas no passado dia 17 de Novembro!
Em primeiro lugar queria saudar a organização do evento pela coragem de trazer, a uma cidade habitualmente fora do circuito de concertos, uma banda da envergadura de Vanden Plas! E muito provavelmente a localização, aliada à fraca divulgação, foram os principais motivos para que (muito) pouca gente estivesse presente. E é pena... Quem, como eu e o Marco, se aventurou até Torres Novas, não teve as expectativas defraudadas e foi brindado com uma excelente noite de música (mas já lá iremos).
Antes disso vale a a pena dedicar umas palavras à performance das duas bandas portuguesas que iniciaram a noite: Progono e Hyubris. Nenhuma das duas foi particularmente excitante mas tiveram aspectos positivos obviamente. Os Progono, oriundos de Torres Novas, revelaram-se bons músicos, com alguns momentos muito interessantes num set list maioritariamente cantado em português. Destaco a simpatia, uma excelente selecção de imagens passadas nos dois ecrans (vislumbrei por lá trabalhos de Giger e do magnífico designer DeadDreamer por exemplo) e também um bom trabalho instrumental. O vocalista tem uma voz bonita ("parecida com a do Carlos Paião" lol sim sim... comparação feita pela boca iluminada do palhacito, de quem mais?) mas um pouco desenquadrada da música, o que fez com que tudo soasse um pouco estranho.
Gostei mais dos Hyubris. A vocalista, Filipa Mota, tem uma voz lindíssima, a parte instrumental também é boa e a utilização de flauta e gaita de foles é uma mais valia para o metal/folk tocado pela banda. Mas, apesar de todos estes pontos positivos, tenho que concordar com o Marco (o que não me custa nada, embora ele ache que sim), quando ele diz que ao fim de algum tempo, tudo nos soa ao mesmo. Não tirando o mérito à banda, faltou por vezes um pouco de "sal". Espero mais "altos e baixos" (no bom sentido claro) para me prender a um concerto, caso contrário corro o sério risco de me entediar (como aconteceu).
E como convém, "I saved the best for last"...
(Só um reparo prévio às minhas conjecturas sobre Vanden Plas... Atenção organização, para a próxima vez, ponham música de jeito no intervalo dos concertos, por favor! Cento e poucas pessoas, ânimos lentos e música de elevador? Não combina! Esperemos que venha daí "som rijo"! Que tal uns Symphony X ou até os meus Dream Theater? Era um bom aperitivo, digam lá que não!)
Bem, mas vamos ao que interessa: Vanden Plas! Se já estavam aí ansiosos para ler o que eu teria a dizer sobre o magnífico concerto da banda alemã, fiquem desde já a saber que não é muito! Como habitualmente acontece com concertos que gosto muito, faltam-me palavras (lol)!
Acho que eu e o Marco ficámos mais desiludidos com a fraca afluência de público do que a banda, o que n deixa de ser prova do grande valor destes senhores. Tenho a certeza que se esforçaram tanto para agradar àquelas cento e poucas pessoas quanto se esforçariam para agradar a um estádio esgotado! E nós fizémos questão de os brindar com muito barulho (Fomos poucos mas bons! E até, imaginem lá, se formou uma mini roda de mosh prai com uns cinco ou seis putos!)
Isto tudo pode parecer ridículo, mas gerou-se naquela sala uma grande empatia entre o colectivo germânico e o público e um clima de grande intimidade sem nunca se perder o poder musical próprio do metal progressivo.
Foi um alinhamento variado que tocou quase todos os cinco albums da banda, mas que se concentrou fundamentalmente no último Christ 0 de onde se ouviram por exemplo "Silently", "January Sun", "Christ 0" e "Postcard To God". A banda conseguiu envolver-nos no espectáculo e eu pelo menos fui capaz de me abstrair de tudo o que estava em redor (o que só acontece quando estou mesmo a gostar de um concerto). Devo dizer que já era fã de Vanden Plas, que ouvia os seus trabalhos com muito gosto, mas esse gosto triplicou depois da noite de Torres Novas.
Gosto quando uma banda se entrega, quando brinda o público com simpatia, com palavras de apreço e tudo isso aliado a um excelente desempenho musical, torna tudo inesquecível! Uma palavra sobre o enormíssimo poder vocal do vocalista Andy Kuntz (um grande senhor)! Grandes grandes grandes Vanden Plas! \m/


Me & palhacito à saída do Palácio dos desportos! Os sorrisos parecem tímidos mas por dentro estávamos a gargalhar :-P




Friday, November 16, 2007

ProgZone @ Torres Novas 17/11/08

Vanden Plas no Festival ProgZone! É já amanhã.. e eu vou lá estar! \m/



Friday, November 09, 2007

Onslaught @ Corroios.. e as coisas lindas que ainda vêm por aí!

É verdade... Já se passou quase um mês desde o grande concerto de Onslaught no Cine-Teatro de Corroios e nem um palavra sobre isso assim neste cantinho na "blog'osfera" plantado! :-P
O que dizer sobre um grande concerto de Thrash Metal?.. errr.. que partiu tudo? E não é que partiu mesmo?
Com especial incidência sobre o último album Killing Peace, o quinteto britânico fundado em 1983 pelas mãos de Nige Rockett e Steve Grice destilou com grande eficiência e agressividade q.b. as canções que o público esperava entre as quais "Burn", "Killing Peace" e "Destroyer Of Worlds". Sentiu-se simpatia e entrega por parte dos músicos e a meia casa que compareceu para os ver correspondeu a essa entrega o que gerou um excelente ambiente! Assim vale a pena dar dinheiro para um concerto!
Esperemos que entre o Killing Peace e o próximo album não haja de novo um intervalo de 18 anos!
Nota muito positiva para os Deathland e os Pitch Black (bandas de abertura) que estiveram à altura deste magnífico festival!

... ah claro, obrigada ao palhacito pela companhia :-) é o costume!

Mas nem só de Thrash Metal vive um metaleiro (metaleira, neste caso)! No próximo fim-de-semana (17/18/19 de Novembro) mais uma aventura "concertística" me aguarda.. Vanden Plas no dia 17 em Torres Novas e Marilyn Manson dia 19 (já que Queensrÿche foi cancelado) em Lisboa! É já pra semana.. e eu vou lá estar \m/

Friday, October 12, 2007

Música... sempre a música...

Há muito que não dedicava uns minutos ao blog e entretanto acabei por não partilhar as minhas impressões sobre o concerto de Paradise Lost no passado mês de Setembro no Cine-Teatro de Corroios. Para dizer a verdade, não estou com muita paciência para estar aqui a fazer um "review" exaustivo sobre tudo o que se passou naquela noite mas digo-vos que foi um excelente concerto, que me surpreendeu e emocionou. O alinhamento foi variado mas obviamente mais focado no mais recente In Requiem e culminou com o "Say Just Words" do album de 1997 One Second (quem me conhece sabe as razões que tenho para gostar dessa música... e muito). Foi tudo tocado com muito profissionalismo, alguma simpatia mas na minha opinião falhou um pouco a adesão do público que estou habituada a ver em concertos de metal... Senti como se houvesse uma ténue cortina de fumo entre o palco e o público e que faltou um pouco de entrega dos dois lado.
Mas à parte de tudo isso, foi um bocadinho muito bem passado, fora o calor horrível que se fazia sentir na sala e que me fez sair uns minutos para respirar fundo e evitar cair para o lado (literalmente)!
... E não esquecer ainda a companhia... Marco (o palhacito sempre presente como de costume hehehehe), a minha Dreíta (recém convertida à luz lol), e o Sérgio :-)

E depois de ter perdido o concerto de Dimmu Borgir com Amon Amarth a abrir e de After Forever porque infelizmente a minha carteira não tem elástico e a conta bancária não é tão grande quanto o meu amor pelo metal, não consegui desistir de Onslaught e amanhã lá vou eu rumo a Corroios ter com o Senhor Marco (vulgo palhacito lol) para mais uma noite de Thrash que se espera que seja no mínimo interessante!

Onslaught @ Cine-Teatro de Corroios... É já amanhã, e eu vou lá estar! \m/

Monday, September 17, 2007

Paradise Lost @ Cine-Teatro de Corroios

Estou em contagem decrescente para o concerto mais aguardado dos últimos tempos (pelo menos para mim claro!). Permaneço numa tentativa de não criar expectativas, mas enfim... sempre há algumas ;-)
É já amanhã, e eu vou lá estar!


Marés Negras @ Coliseu do Porto 01/09/2007

Grande concerto de Kreator! Eu estive lá, é verdade! E o trio de Thrash Metal alemão ficou completo finalmente... e que trio meus amigos!
Para que tenham uma noção do que foi o Festival Marés Negras na sua totalidade e porque estou com uma preguiça incrível para escrever, aqui fica o link directo para o blog do Fábio que fez um review completíssimo sobre o que se passou naquela fantástica noite (obrigada!)

http://allmemoriesremain.blogspot.com/2007/09/mars-negras-at-o-coliseu-veio-abaixo.html

\m/(=.=)\m/

NR: com direito a fotos do grande Cameraman Metálico e tudo! upa upa!

Saturday, September 01, 2007

Kreator @ Marés Negras (Coliseu do Porto)

Eu disse que mais tarde ou mais cedo ia acontecer! O trio de Thrash Metal alemão old school ia ficar completo! Depois de Destruction e Sodom é a vez de Kreator!
É hoje! E eu vou lá estar! \m/

NR - Com Moospell e f.e.v.e.r (yeap yeap)

Wednesday, August 29, 2007

I can't help it... I just can't...

...close your eyes
let me touch you now
let me give you something that is real
close the door
leave your fears behind
let me give you what you're giving me
you are the only thing
that makes me want to live at all
when i am with you
there's no reason to pretend
that when i am with you i feel flames again
just put me inside you
i would never ever leave
just put me inside you
i would never ever leave
you...

Lyrics: Flames by VAST
Image: Lust by akuma-sayian in deviantART

Thursday, August 09, 2007

Wacken Open Air 2007


Muito haveria para dizer sobre a minha ida a Wacken mas deixo-vos apenas a título de amostra uma lista de coisas soltas que me foram passando pela cabeça e sobre cuja ordem não me apeteceu ponderar largamente... Apenas as fui soltando praqui...

O Festival:
  • Uma palavra: Spiderschwein! (foi o "oh Elsa!" lá do sítio)

  • Uma frase: "As gajas giras não ouvem metal" (pela boca iluminada do Marco, de quem mais?)

  • Uma gaffe: Eu entrar toda lampeira nos chuveiros dos homens porque pensava que eram mistos (que inocente!)

  • Uma situação caricata: o meu desmaio na fila do merchandise oficial (foi uma beleza ficar estendida ao comprido naquele mar de gente)

  • Uma coisa boa: chuveiros de água quentinha e casas de banho com autoclismo (upa upa)

  • Uma coisa muito boa: os crepes com Nutella que o Ricardo descobriu no recinto do Party Stage

  • Uma coisa má: a cerveja (o que eu sonhei com uma Super Bock)

  • Uma coisa muito má: o café (ou melhor, água choca... blheck!)

  • Uma coisa terrível: o cheiro funky (bad funky) por todo o recinto (blheck)

  • Uma coisa chata: a chuva que caiu no primeiro dia e que piorou ainda mais o shlapp shlapp dos pézinhos na lama

  • Uma coisa ainda mais chata: a falta de dinheiro para comprar tudo o que me apetecia no Metal Market (até doeu a alminha)

Os Concertos:

  • Um bom concerto: Blind Guardian

  • Um grande concerto: Overkill

  • Um enorme concerto: In Flames

  • Uma surpresa: Swallow The Sun

  • Uma revelação: Disillusion

  • Uma confirmação: Iced Earth

  • Uma desilusão (mais uma vez): Type O Negative

  • Uma hora de brutalidade: Destruction

... mais do que tudo isto fiquei maravilhada pela diversidade de pessoas que se reuniram naquele Festival e o espírito de puro amor à música e ao Metal que se sentia em toda a parte... sem dúvida, uma experiência para a vida :-) \m/ WACKENNNNNNNNNNNNNNNN!!!

Tuesday, July 31, 2007

Wacken Open Air 2007


É verdade... Andou o mundo a conspirar para não me deixar ir, mas a vontade é férrea! Mais logo às 5h da matina lá vou eu rumo a Wacken!
É o maior festival de Metal da Europa... e eu vou lá estar! \m/

Wednesday, July 04, 2007

Metallica @ Super Bock Super Rock... YEAHHHHH!!!!

Foram momentos únicos os que se viveram no Parque Tejo no passado dia 28!
Os Metallica (que não via ao vivo desde o saudoso T99), subiram ao palco do Festival Super Bock Super Rock para brindar os largos milhares de pessoas que os aguardavam com um excelente concerto! Depois da desilusão de Type O Negative, decidi ir ver Metallica de ânimo leve, sem grandes expectativas, até porque não se trata de uma banda de grande virtuosismo instrumental como por exemplo Dream Theater.

Mas em palco os Metallica provaram mais uma vez porque são uma banda consensual e das mais solidamente estabelecidas no panorama metal internacional e que por isso mesmo reúne à sua volta uma das mais heterógeneas legiões de fãs. Naquele imenso mar de gente via-se desde o metaleiro mais old school em busca dos hinos dos primeiros albums da banda, até ao betinho de Cascais que só gosta das baladas do black album. Via-se de tudo um pouco naquela plateia e sentiu-se que a banda de James Hetfield tinha saudades do público português. Os vários encores foram mais uma prova que ao fim de mais de duas horas de concerto ninguém tinha vontade de os deixar ir embora.

Como ouvi alguém dizer à saída: "Os gajos tocaram tudo!". O alinhamento percorreu toda a discografia até ao Garage Inc. (St Anger nem vê-lo, e ainda bem). Muita velharia old school se ouviu naquela noite :-) e isso é que é de valor!

Não vou estar aqui a escrever o alinhamento todo, até porque foram tantas que nunca mais acabava, mas a título de exemplo... errr.. tocaram as quatro "hinos do isqueiro": "The Unforgiven", "One", "Nothing Else Matters" e o meu "Fade To Black" ("a" música da minha vida); e também muitas das mais rasgadinhas, "Master Of Puppets", "Am I Evil?", "Seek & Destroy", "Disposable Heroes", "...And Justice For All", "Ride The Lightning", "From Whom The Bell Tolls", "Enter Sandman", "The Four Horsemen" e "Creeping Death"... Tudo iniciado com a versão do famoso "Ecstasy Of Gold" de Ennio Morricone (como é costume).

Foi um excelente concerto, com alegria, com entrega dos músicos, com empatia!


Venham mais destes! \m/ YEAHHHHHHH!! (ah lah James Hetfield)


NR- Para quê James Hetfield quando se tem ao lado uma grafenola de duas pernas chamada Marco ;-)

NR - Pra sair do trânsito é que foi lindo... oh se foi! Obrigada por tudo Marco (eu sei que já agradeci, mas nunca é demais... um beijo)

Thursday, June 28, 2007

Metallica @ Super Bock Super Rock

É hoje... E eu vou lá estar!

Faltou qualquer coisa...

Já vai sendo habitual escrever aqui as minhas impressões sobre as concertos que tenho a sorte e oportunidade de ir e hoje não vai ser excepção.
Ontem, no concerto de Type O Negative esperava-se uma grande noite, mas acabou por não ser. Não posso negar que me sinto um pouco desiludida com o alinhamento, com a qualidade do som e com a performance em si do quarteto norte-americano.
Encontrámos um Coliseu a meio gás para um espectáculo a que faltou esse "gás". Não deixou de ser bom assistir à estreia da banda em Portugal, ouvir o "Love You To Death", "Black #1", "Christian Woman" ou "We Hate Everyone"... mas faltaram tantas canções, bem melhores que as que se ouviram...
Senti que fui para um banquete e só me deram um snack (lol)!
Faltou tanta coisa...
Se calhar deveria ter as expectativas mais abaixo...
Espero que em Wacken seja bem melhor!

NR1 - De louvar a atitude cool do baterista! Grande bacano!
NR2 - O Pete, é o Pete... (sem palavras... adoro aquele homem lol)
NR3 - Pobrezita da Andreia que ia à espera de uma coisa e levou com algo bem diferente...
NR4 - Obrigada ao meu bixu de bigodes e à Dreíta pela companhia

Tuesday, June 26, 2007

Type O Negative @ Coliseu de Lisboa

É já amanha! E eu vou lá estar! \m/

Monday, June 25, 2007

Um verdadeiro teatro de sonhos!


Por muito que haja a dizer sobre o concerto de Dream Theater no passado dia 20 de Junho no Coliseu do Porto, tudo parece sempre pouco... Embora os dois concertos que vi anteriormente tenham sido melhores (por gostar mais do albums em tour talvez), ver Dream Theater ao vivo é sempre uma experiência arrebatadora!
Foi um espectáculo bem mais curto do que costumam ser as "Evenings with Dream Theater" porque desta vez houve banda de abertura, os Riverside. Não vou estar praqui a escrever sobre a dita banda porque nada no concerto deles me chamou muito a atenção... serviram de "warm up" e basta embora o som até fosse interessante.
O concerto começou com algumas falhas técnicas (notadas pelos mais entendidos), mas que para mim não fizeram grande diferença. A ansiedade, a alegria, o nervoso miudínho que me roía a alma, e sobretudo a emoção de estar ali em frente ao palco onde estava "a minha banda" eram em tudo superiores a qualquer coisa que pudesse manchar aquela noite.
Antes até de se chegar ao Coliseu já se viam por todo o lado sorrisos rasgados, alegres trocas de expectativas, branded t-shirts orgulhosamente exibidas e o alto astral da grande legião de fãs da banda norte-americana fazia-se sentir um pouco por toda a parte.
ohh pra nós tão contentes
O alinhamento foi variado e tocou vários albums, e do último Systematic Chaos apenas três: "Forsaken", "Constant Motion" e "The Dark Eternal Night". Do meu preferido Metropolis pt2: Scenes From A Memory: "Overture 1928", "Strange Deja Vu", "Home" (que é umas das minhas canções preferidas de Dream Theater, se não "a preferida) e "The Spirit Carries On". Ainda destaco "Surrounded" e "Pull Me Under", mais dois momentos altos!
Mas, pensando bem, o concerto foi um grande momento alto! A genialidade daqueles cinco mestres da música deixa-me sempre extasiada e esta vez não foi excepção e a descarga de energia foi de tal ordem que fiquei meio catatónica nas horas que se seguiram (acho que não fui a única).
Mesmo depois de ter escrito isto tudo aqui, fico com a sensação que não disse nada de jeito... Não há muito para dizer sobre os meus Dream Theater... é música, no seu estado mais sublime... tem que se sentir!

NR1 - Eu estava eufórica, estava sim senhor... mas o Marco parecia que estava "drunfado", aquilo era uma electricidade só! :-P foi não foi palhacito?
NR2 - Obrigada a ele (lol) e às meninas Marta, Carina e Telma, pela excelente companhia :-D

Tuesday, June 19, 2007

Dream Theater @ Coliseu do Porto


É já amanhã! ... E eu vou lá estar! \m/

Tuesday, June 12, 2007

Festival Metal GDL

É verdade! A minha santa terrinha agora tem um festival à altura da legião de metalheads alentejanos (eu incluída, claro!) Nos próximos dias 13 e 14 de Julho vai realizar-se a segunda edição do Metal GDL em Grândola com os Moonspell como cabeças de cartaz! Obrigada à organização por esta iniciativa!

Infelizmente para mim, não vou poder estar presente porque no dia 14 (quando o cartaz vale muito a pena), vai ser também o concerto em Corroios dos grandes Samael! :-( ... que grande pontaria... Anyway, desejo boa sorte para o evento, e venham mais! \m/

Beautifully depressed...


You can't fool the fool, 'cause I know it in my head
I just want the people to get some before they're dead
You can take my body and dry it in the sun
Seeing vultures circle overhead
This is the home of the beautifully depressed
Life is just a moment that rushes all at once
Letting the vultures surround me when I'm dead
I am the lord of the beautifully depressed
Endlessly, cum for me
Faithfully, bend for me
Lifelessly, hang for me
Endlessly, endlessly
Push me to the limit
I ain't afraid to die
Drive me to the limit
I proudly pledge to die
I dispell the madness by forgetting all the rules
You say I follow in the footsteps of pre-existing fools
Begging vultures to bury off my head
This is the hard life of the beautifully depressed
Endlessly, cum for me
Faithfully, bend for me
Lifelessly, hang for me
Endlessly, endlessly
Push me to the limit
I ain't afraid to die
Look before you're in it
Are you afraid to die
Then join the beautifully depressed
The beautifully depressed...

Lyrics: "Beautifully Depressed" by Down
Image: Fate Prisoner by tragic saturn in deviantART

Thursday, May 31, 2007

"I can't find anything except the void inside..."

Não sei por onde ir, os meus passos são errantes.
Abandono-me na beira do caminho tolhida por tempestades que imagino,
Mas tudo me parece tão real: as dores, as lágrimas...
Invento-me a cada virar de página procurando sentidos mas todos são pedras cruas,
Esparsas poeiras, labirintos...
Fecho os olhos às verdades que gritam, finjo que são murmúrios cinzentos.
Escapam-me por entre os dedos como areia miudinha... as ilusões...
Desejo fundir-me no infinito,
Que o meu corpo seja por momentos uma nuvem tosca de cinza baça;
Desejo anular os meus sentidos e tornar-me permeável à chuva mansa, ao vento frio...
Estou cansada de me agarrar às mágoas como cortinas de névoa que insistem em rasgar-se.
E caio, vezes sem conta, no abismo do vazio onde fico imóvel, como morta... à espera...
De quê?
... Não sei



NR-Escrito numa mesa algures no Odivelas Parque depois de um dia péssimo...
Imagem: Alone by Duolegur in deviantART

Sunday, May 27, 2007

Um imenso oceano de emoções...

O concerto de Dave Matthews Band da passada sexta-feira foi sem dúvida um dos mais marcantes da minha vida!

Apesar de estar sozinha, de ter chegado em cima da hora e assim ter perdido o opening act a cargo de Tom Morello (ex guitarrista de Rage Against The Machine, actualmente nos Audioslave), tentei furar a multidão para conseguir um lugar de onde pudesse ao menos vislumbrar o palco. Deparei-me com um Pavilhão Atlântico lotado de sorrisos rasgados, com gente de todas as idades e pairava no ar uma ansiedade que se podia sentir na pele!

A entrada dos músicos em palco provocou uma autêntica explosão de aplausos, de gritos! E começou o espectáculo... mais de três horas de pura magia! Passaram pelo palco grandes canções como "Everyday", "Crash Into Me", "Dreamgirl", "Hunger For The Great Light", "Don't Drink The Water", "So Much To Say", "Too Much", "Grave Digger", "Sister", "Louisiana Bayou" e "Stay", sempre com acompanhamento do público...

Se tivesse que apontar um aspectozito negativo do espectáculo... humm poderia dizer que por vezes as partes instrumentais eram prolongadas em demasia e tornavam-se em autênticas jam sessions que corriam rapidamente o risco de entendiar o público e suscitavam aqui e ali alguns assobios... Mas isso não chegou para ofuscar o brilhantismo da banda norte-americana e a emoção de ter estado presente naquele concerto!

NR - Para ser perfeito, faltou o "Angel" e o "The Space Between"... mas eu perdoo (lol)

Valeu a pena...

Friday, May 25, 2007

Dave Matthews Band @ Pavilhão Atlântico (25/05/07)

Eu sei que não é habitual surgirem por aqui posts sobre concertos fora do panorama Metal... Só prova que sou uma moçoila de gostos ecléticos :-)
Dave Matthews Band é uma das honrosas excepções na minha extensíssima lista de bandas preferidas que não se dedica a fustigar-nos o aparelho auditivo (lol)...
Vai ser uma honra estar presente num dos quatro concertos únicos que a lendária banda norte-americana agendou no velho continente e aguardo (como sempre) emoções fortes!

É já amanhã, e eu vou lá estar!




NR - Há duas ou três canções que se forem tocadas, não haverá lencinho de papel que resista :-P snif snif (lol)

Wednesday, May 16, 2007

Momentos de ouro se aproximam!

Dream Theater, Type O Negative e Samael... os bilhetes já cá cantam!

Sunday, May 13, 2007

Sodom @ Corroios: headbanging ao mais alto nível!



Sim sim, gostei bastante do concerto de Sodom ontem à noite no Cine-Teatro de Corroios (a nova meca do Metal na zona da capital)! Tirando o calor de morte que se fazia sentir numa sala bastante composta e convenientemente regada a cerveja (lol), foi uma noite com muito boa música, cheia de energia e peso!
Conhecendo principalmente o album mais recente do trio germânico e o clássico Agent Orange, ouvi pelo meio do alinhamento músicas como "Blood On Your Lips", "City Of God", "Ausgebombt" e "Remember The Fallen".. Mas o Marco fez o favor de me dizer o nome de outras tantas que se ouviram por lá: "Outbreak of Evil", "Agent Orange", "The Saw Is The Law", "Napalm in the Morning", "Among the Weirdcong" e claro a cover de "Ace Of Spades" dos Motörhead (essa também reconheci).
Um alinhamento muito variado mas tocado com eficiência, agressividade e claro, a rapidez típica do Thrash Metal germânico old school!
Já agora podiam vir cá os Kreator também! (assim ficava o trio completo) Eles andam pelos festivais europeus neste verão... Será pedir demais? ;-)

A dose dupla Sodom + Destruction também estará em Wacken... e eu também! \m/

Friday, May 11, 2007

Sodom @ Cine-Teatro de Corroios 12/05/2007

O melhor do Thrash Metal germânico está de volta a terras lusas! Depois de Destruction em Dezembro, é a vez de Sodom! E eu vou lá estar! \m/

Monday, May 07, 2007

It's just a Question Of Lust...




"Fragile
Like a baby in your arms
Be gentle with me
I'd never willingly
Do you harm
Apologies
Are all you seem to get from me
But just like a child
You make me smile
When you care for me
And you know...
It's a question of lust
It's a question of trust
It's a question of not letting
What we've built up
Crumble to dust
It is all of these things and more
That keep up together
Independence
Is still important for us though (we realise)
It's easy to make
The stupid mistake
Of letting go (do you know what I mean)
My weaknesses
You know each and every one (it frightens me)
But I need to drink
More than you seem to think
Before I'm anyone's
And you know...Kiss me goodbye
When I'm on my own
But you know that I'd
Rather be home"


Lyrics: Question Of Lust, Depeche Mode
Image: Lust by 1nnerBEAUTY in deviantART


......


(In my mind...you... lust... pure & simple)
(confused?... me too)

Saturday, May 05, 2007

I felt so stupid today...


I wish I had a way to turn back time... I keep on repeating the same damn mistake, I guess I'll never learn...

Loneliness is turning me into this vulnerable and self-pitying person. I'm not like this, I know it...

Emptiness and isolation...

I feel so ugly..

I'll just let go... all of this... and you too, before I begin to feel your presence in my head (I don't want to, please go away)... Help me, you're already there...

I'll rip you out of my mind like a noxious weed...

I can't stand your image etched upon my memory! It's like the illusion you turned out to be...

I keep on pretending that you feel something, maybe you do, but not for me...

You don't let me find you.

I'm lost...

Friday, April 27, 2007

Nine Inch Nails... mais que música que se ouve, palavras que se sentem...


"Hey God, I really don't know what you mean.
Seems like salvation comes only in our dreams.
I feel my hatred grow all the more extreme.
Hey God, can this world really be as sad as it seems?"

Terrible Lie


"You always were the one to show me how
Back then I couldn't do the things that I can do now.
This thing is slowly taking me apart.
Grey would be the color if I had a heart."

Something I Can Never Have


"I'm drunk
Right now I'm so in love with you
And I don't want to think too much about what we should or shouldn't do
Lay my hands on heaven and the sun and the moon and the stars
While the devil wants to fuck me in the back of his car
Nothing quite like the feel of something new"

The Only Time


"you know me i hate everyone
wish there was something real
wish there was something true
wish there was something real in this world full of you
i want to but i can't turn back
but i want to"

Wish


"you can have my isolation,
you can have the hate that it brings
you can have my absence of faith,
you can have my everything
help me tear down my reason,
help me its' your sex I can smell
help me you make me perfect,
help me become somebody else"

Closer


"I hurt myself today
to see if I still feel
I focus on the pain
the only thing that's real"

Hurt


"you make me hard when I'm all soft inside
I see the truth when I'm all stupid-eyed
the arrow goes straight through my heart
without you everything just falls apart"

The Perfect Drug


"I'm writing on a little piece of paper
I'm hoping someday you might find
well I'll hide it behind something they won't look behind
I am still inside...
a little bit comes breathing through
I wish this could've been any other way
but I just don't know... I don't know what else i can do"

Every Day Is Exactly The Same

(imagem: Tears Of The Last Beauty by duolegur in deviantART)

Wednesday, April 25, 2007

Dream Theater @ Coliseu do Porto 20/06/2007


Mais uma noita mágica se aproxima a passos largos! Ainda antes de Type O Negative e Metallica (que prometem)... a minha banda preferida (é verdade, a número 1) vai voltar a Portugal!

Dia 20 de Junho, lá rumarei ao Porto para mais uma "evening with Dream Theater"!

A banda regressa a este cantinho à beira mar plantado para promoção do novo "Systematic Chaos" com lançamento previsto para o início do mês de Junho. Assim tenho uns 15 dias para "absorver" bem as novas delícias que por aí vêm! :-)

As expectativas estão ao rubro mais uma vez (como seria de esperar) e será a terceira vez que terei o privilégio de testemunhar ao vivo a mestria de James Labrie, Mike Portnoy, John Petrucci, John Myung e Jordan Rudess e o concerto promete ser novamente inesquecível!

Bora lá! ;-) \m/

Tuesday, April 24, 2007

Amizade

É sempre difícil escrever sobre uma coisa que nos acontece espontaneamente. Procurar palavras (essas pequenas coisas efémeras) para descrever sentimentos que se fundem em milhões de gestos diários pode parecer uma tarefa inglória mas posso tentar...
Tive na minha vida (não tão longa quanto isso), diferentes tipos de amizade, como acontece com todas as pessoas. Amizades surgidas em contextos e épocas diferentes e que por isso mesmo assumiram pesos diversos na minha vida. Desde os tempos de escola primária, passando por os oito anos de internato no I.O. e os quase oito de Lar, os primeiros conhecimentos via net no saudoso canal #odivelas do irc e outras virtualidades afins, as amizades da faculdade e mais recentemente algumas através do trabalho, passaram pela minha vida centenas de pessoas... umas ficaram, muitas não...
Criei na minha mente, um pouco involuntariamente, um género de "escala" de amizade. Essa "escala" é gerida pura e simplesmente pelo grau de empatia e "entrega" mútua.
Chamo "amigo" a uma pessoa que admiro e que respeito mas sinto-a como "amigo" quando existe essa empatia a vários níveis. Posso admirar e respeitar uma pessoa mas além de tudo isto é necessária confiança e quando falo de confiança não falo apenas de confidências ou de partilha de vivências ligeiras. Falo aqui de quebra de véus e barreiras, do "despir de cortinas de fumo", da perda de medo de mostrar o que se sente sem medos ou preconceitos.
Por exemplo, alguém que exibe um sorriso "pepsodent" e um "está tudo bem" em qualquer circunstância é algo que me aflige. Faz-me confusão não vislumbrar altos e baixos, tristeza, euforia, excitação, ansiedade, dor... coisas que se sentem e que os olhos mostram. Uma amizade onde não se vê nada disto, para mim, torna-se circunstancial (se bem que tem sempre a possibilidade de evoluir, principalmente com o tempo). Gosto de poder afagar lágrimas, de partilhar pulos de alegria, rir-me da ansiedade... partilhar. As pessoas que até hoje vi chorar são curiosamente as pessoas que mais próximas sinto de mim, são também aquelas com quem partilhei sonoras gargalhadas, conversas da treta numa mesa de café... coisas triviais mas que fazem de nós aquilo que somos...
E é como uma dessas pessoas diz, e muito bem: para se ser amigo, daqueles que está lá sempre, não precisamos compreender o outro, entrar-lhe na alma e folhear a vida dele de trás pra frente. Basta aceitar o outro, com defeitos e qualidades e não impor o nosso modo de ver e viver. Podemos aconselhar, criticar aqui e ali, dar um puxão de orelhas, mas no fim estamos lá com um sorriso para dar... ou um colo (quando é preciso).
É assim que eu vejo isto da amizade... Dar espaço, não impor a minha presença mas fazer por manter o meu espacinho na cabeça daqueles que gosto dando tudo o que posso de mim quer seja numa bela noite de copos e dança no Plateau, como numa conversa a duas no areal da Costa da Caparica.
Posso ter desiludido pessoas, é verdade... posso ter falhado (e falhei muitas vezes). A minha instabilidade e imaturidade levaram-me a meter a pata na poça, a afastar-me de pessoas mesmo sem querer e algumas dessas pessoas são agora impossíveis de resgatar. Mas (existe sempre um "mas" nestas coisas), tenho ainda algumas que fazem de mim aquilo que sou, que me completam (por mais longe que estejam), com quem partilho muito mais do que momentos, muito mais do que palavras, muito muito mais... e que nestes vinte e seis anos de vida me foram aparando as quedas, limpando as lágrimas, dando nas orelhas, rindo das minhas parvoíces, vibrando com as minhas vitórias (por muito pequeninas que sejam) em todos os momentos da minha vida e que por muito que eu procure a solidão, nunca me deixaram estar realmente sozinha...


Imagem: Friendship by spandaj in deviantART

Saturday, April 14, 2007

Katatonia @ Paradise Garage... uma agradável suspresa!

Tenho a dizer-vos que o concerto de Katatonia do passado dia 12 de Abril foi um momento musical intenso como seria de esperar. A banda sueca está ainda longe do meu top 10 mas proporcionou-nos um bom concerto e deixou-me com vontade de ouvir mais atentamente os albums que tenho (e é isso exactamente que vou fazer).
Nunca tinha ido ao Paradise Garage e gostei do espaço e do ambiente mas as condições acústicas podias ser bem melhores e o palco podia ser um pouco mais alto (até eu do alto do meu 1,80m só consegui ver os músicos pela metade). Mas isso são questões irrelevantes... O que interessa é a música!
A primeira parte ficou a cargo dos portugueses Process Of Guilt que cumpriram bem o seu papel de warm up e revelaram alguma potencialidade se bem que não sou grande expert em matéria de doom metal para estar aqui a opinar. E embora também não seja grande expert no percurso discográfico dos Katatonia, reconheci pelo meio do alinhamento grandes canções como "Ghost Of The Sun", "Leaders", "Soil's Song" e a minha preferida "Criminals".
Gostei da música, da atitude em palco e da performance em si mas terei que concordar com o Marco quando ele disse que prefere ouvir Katatonia no CD. Não que a música não seja boa ao vivo mas é demasiadamente contemplativa e tem que ser ouvida quando estamos sozinhos com os nossos botões e não numa sala lotada com gente chata a passar e a dar-nos encontrões a toda a hora. Mas no fim das contas valeu a pena ter lá estado e acabou por ser mais um concerto marcante, e contemplativos ou não, foi bom ouvir Katatonia ao vivo!
Venham os próximos concertos... Sodom, Dream Theater (ainda nem acredito!), Type O Negative, Metallica, Mastodon e Satriani no SBSR, Samäel (quem sabe)... e é claro Wacken!
\m/

Wednesday, April 11, 2007

Rotinas...















Há pequenos gestos que dizem tanto de nós, pequenos vícios (uns mais saudáveis que outros) que moldam a nossa rotina...

Friday, March 30, 2007

Katatonia @ Paradise Garage Lx - 12 de Abril de 2007

... e eu vou lá estar!

Saturday, March 24, 2007

Type O Negative @ Coliseu dos Recreios de Lisboa (27/06/07)

É oficial! Os Type O Negative vão visitar-me! :-)
Mais uma banda de topo no meu ranking de preferidas que vem a Portugal e novamente as expectativas estão ao rubro!
Para quem não conhece (se é que isso é possível), deixo o pequeno top 10 das minhas preferidas! Vão já ouvir!

1 - Die With Me
2 - Everything Dies
3 - Black # 1
4 - Cinnamon Girl
5 - My Girlfriend's Girlfriend
6 - Be My Druidess
7 - Love You To Death
8 - I Don't Wanna Be Me
9 - Everyone I Love Is Dead
10 - September Sun
\m/
E deixo-vos também o excelente video da #5 My Girlfriend's Girlfriend
Free Site Counter
Free Site Counter